Possuir Senso Crítico no Brasil



Crítico como sou das diversas mediocridades culturais, sociais e políticas praticadas neste país, não posso deixar de externar o que sinto vivendo aqui: Desânimo, perplexidade e inveja.

Como não sentir desânimo em uma cidade onde o índice de reprovação do prefeito de todo o meu círculo social era grande, mas que foi eleito logo no primeiro turno. Comprovadamente incapaz de gerir problemas sociais da minha cidade, ele prefere expulsar que cuidar, quanto à população de rua. Prefere mostrar do que  finalizar, quanto às obras intermináveis. Prefere culpar a nós população do que assumir o mal planejamento, quanto ao caótico estado do transporte público. Poderia escrever várias páginas aqui, mas quero ser breve para não cansar o leitor.

Como não me sentir perplexo ao ver a população discutindo final de novela enquanto o final do julgamento do caso mais inglório da nossa política é definido. Mil pessoas pedindo a saída do presidente do clube por incapacidade técnica e quinze na câmara de vereadores contra o aumento abusivo dos próprios salários. Direitos humanos para menores de idade legal assassinos e falta de providência social para idosos justos. Poderia escrever várias páginas aqui, mas quero ser breve para não cansar o leitor.

E por último vem a inveja. Inveja da ingenuidade e ignorância. Todos estes problemas anteriores seriam facilmente sanados à cerca de minha pessoa caso eu possuísse-nas em larga escala. Não quero insinuar que não tenho das duas citadas anteriormente, porém discordar cansa. Não aceitar fatiga. E discutir gera inimigos. Ainda mais aqui no Brasil onde a luz de uma primavera social não pode ser vislumbrada de lugar algum.

O jeito é esperar que as próximas gerações não sejam como esta, onde um dia o senso crítico será tamanho que as atuais desigualdades produzam aversão às pessoas em sua maioria. Ou então que dê uma mega merda catastrófica nessa porcaria de país e através da porrada essa sociedade sofista aprenda o que é certo.

16 comentários

"...e através da porrada essa sociedade sofista aprenda o que é certo."

E o que é certo?

Gray Fox.

Você leu o texto completo ou só a última frase? Pois durante toda a escrita ele referencia pontos em que a sociedade brasileira realmente deixa a desejar, e está longe de estar certa....

Mas é aí que está. Eu gostei do texto, é importante ter esse senso crítico, nisso eu apoio o texto completamente - só faço ressalva por ele ser direcionado ao nosso país especificamente, já que vejo os problemas abordados em todos o mundo ocidental, não só aqui.

Só o que é certo e errado? Quem define isso? Moral é algo que depende muito de ponto de vista. Não me agrada o mundo em que vivemos hoje, mas por isso eu tenho o direito de dizer que ele está "errado" e eu "certo"? Os movimento totalitaristas começaram exatamente assim, fechando a mente e definindo uma "moral ideal".

A crítica ela deve existir para gerar uma discussão e, a partir daí, chegar a um consenso. Porque para fazer crítica é necessário também possuir mente aberta para ser criticado também. Só assim a conversa poderá ser edificante.

Eu também não gosto de novelas, mas acho natural, por exemplo, as pessoas se interessarem mais nisso no que nas questões de estado, já que a nossa democracia ainda é muito falha, mesmo que ainda seja o modelo "menos pior" dos vigentes por aí.

Então, acho que já escrevi besteiras demais mas, finalizando, gostei das críticas e da própria análise do senso crítico que realmente está em falta atualmente, mas essa frase final eu realmente não concordo pois representa a postura conformista do autor. Fazer críticas não combina com conformismo na minha opinião. Esperar que as próximas gerações tomem uma atitude não é coerente de quem quer diálogo e muito menos definir de antemão o que é certo ou errado antes de uma discussão.

Então, repito, o que é certo? Eu estou certo ou errado e colocar isso em discussão?

Gray Fox.

Obrigado Gray Fox e anônimo por comentarem. Fox, primeiramente gostei muito de teu comentário, o objetivo deste blog é exatamente trazer discussões deste nível. Para elucidar minha posição cito as recentes revoluções sociais em países como egito. Ela se deu de forma gradativa e teve um impulso com a ferramenta internet(exatamente isto que estamos fazendo aqui), onde era de consenso geral da população de que as coisas não estavam boas para esta, como demasiada opressão e miséria. É inegável que nós aqui no Brasil passamos por diversos problemas sociais que daqui a certo tempo acarretará em situações terrivelmente drásticas... as coisas estão só piorando a cada dia. E é de certo que o "certo" seja um senso coletivo de um melhor bem estar e justiça neste país. Melhores políticos, justiça realmente justa para todos, organizações melhor comprometidas com o social e aí vai....

Obrigado pela resposta, Douglas. Agora ficou mais claro para mim.

Também vejo o "certo" como um senso comum e acho que atualmente vivemos um momento de transição. Está tudo tão calmo, tão conformado, tão alienado. Talvez seja aquela calmaria antes da tempestade. Muitos dizem que a geração atual está perdida. Fico triste, pois faço parte dela.

Ou talvez essa transição já tenha começado e, por uma inércia, quem sabe, a gente ainda não percebeu. Os casos de corrupção, tráfico de influência, obras superfaturadas (como as da Copa e Olimpíadas) nos deixam muito desanimado. Por outro lado, acho que as pessoas estão mais atentas à isso. Penso que se fosse há uns vinte ou trinta anos, casos como o do mensalão nunca chegariam ao grande público.

Posso ser muito otimista - até inocente - mas acredito que as coisas vão se acertar com o tempo. O que mais me preocupa atualmente é a total falta de atenção que o assunto educação vem tendo. Num momento em que o Brasil se destaca economicamente, seria o momento da educação ser o grande assunto, pois não adianta de nada um país crescer e sua população ficar para trás.

Até mais.

Gray Fox.

Muito válido discutir sobre o senso crítico da nossa sociedade ou a falta dele, pois considerando a população brasileira de maneira geral, somos omissos e alienados quanto aos nossos direitos.

Como professor da rede estadual de ensino de SP, acredito que a formação de um sujeito crítico capaz de interferir na sua realidade efetivamente deveria começar nas escolas, porém a educação não é prioridade dos nossos políticos com os melhores salários do mundo referente na sua função enquanto os educadores com os piores.

Pra quê educar um sujeito a ponto de criticar o governo, se mantê-lo ignorante é mais fácil de manipulá-lo?

Tenho em torno de 450 alunos e posso contar nos dedos de uma mão quantos tem senso crítico para analisarem uma propaganda, um programa de TV, uma reportagem, por exemplo!

Procuro sempre incentivá-los a se posicionar sobre diversos assuntos para que eles reflitam sobre a interferência do governo em nossas vidas, porém não fazemos milagres, já que o mesmo faz de tudo pra massificar a educação desvalorizando nosso trabalho!

Educação+Tecnologias da Informação, muito pertinente teu comentário! Também fui professor da rede estadual aqui de Minas Gerais durante um tempo e compartilho de tua opinião. Apenas gostaria de adicionar que penso que a formação de um sujeito não deveria começar apenas na escola, mas também em casa. Eu percebi que muitos pais deixam que justamente a escola exerça tal papel, porém as crianças hoje em dia não respeitam os professores, e a escola acaba por não conseguir desempenhar o papel didático, cívil e moral para todos estes.

A culpa disso tudo é um somatório de Governos que nunca preocuparam investir em educaçao de bom nível mais fanatismo dessde povo com novelas e futebol. Enquanto paises de ponta investem em tecnologia nós ficamos aqui preoculpados se o jogador "fulano" foi treinar? Se o tecnico vai escalar tal jogador? Que novela que vai passar depois que terminar essa etc...

Exatamente, quanto mais pessoas pensando como nós e divagando desses assuntos fúteis, maior possibilidade de uma mudança gradual em nosso país!

O jeito que você elaborou o texto faz parecer que moramos na mesma cidade haha !
Concordo com você e os colegas acerca dos problemas que estamos enfrentando ocmo sociedade. Mas até certo ponto começo a vislumbrar na internet um meio de (aos poucos) mudar isso.
Tudo bem que muitas pessoas ainda não tem acesso real a ela. Mas se soubessemos uma forma de nos organizar e gerar esse tipo de discussão, sem dúvida iríamos contribuir para uma melhora... Vejo isso no mundo musical(minha área de atuação profissional). Nós estamos vivendo em meio a uma mediocridade tão imensa na parte cultural devido aos meios de produção para massa. Mas aos poucos eu vejo coisas boas(estetica e filosoficamente) despontando. Pelo fato de a internet ser mais "democrática", nós conseguimos perceber grupos e pessoas aparecendo. Coisa que seria impossível a alguns anos atrás devido ao controle midiático.

Os pais acreditam que a escola é responsável em educar seus filhos em todos os sentidos, pois estes são incompetentes jogando mais uma responsabilidade que não faz parte de nossa função!

Na boa, mas você parece mais um adolescente rebelde do que alguém com senso crítico. por aglum acaso você era uma das 15 pessoas na câmara protestando contra o aumento de salário dos vereadores? Se não era, não passa de um reclamão que não faz coisa alguma a não ser falar mal dos outros.

Se eu tivesse de adivinhar, diria que é realmente um adolescente, usando a internet paga pelo papai pra falar mal do mundo. Coloca a mochila nas costas e comece a fazer as coisas que acusa os outros de não fazerem.

Posso deduzir que você mora em Minas Gerais - Belo Horizonte, e que citou o nosso "digníssimo" prefeito Márcio Lacerda?!

Azrael, pensei em citar música neste post, mas o nível tá tão baixo que me deu até desânimo de citar a poluição auditiva a qual nos cerca.

Obrigado pelo comentário anônimo. Eu não estava no movimento contra um presidente de clube de futebol. Eu não votei em um dos políticos citados, mas infelizmente sou minoria pois muitos deles foram reeleitos. Eu não votei no prefeito citado, mas infelizmente sou minoria pois ele foi reeleito. Acho que já é alguma coisa de minha parte, não? Você atacou minha pessoa neste seu comentário, poderia citar algumas melhorias em que já estive engajado para nosso desenvolvimento tecnológico, mas sugiro que procure pelo meu nome na plataforma Lattes e veja por si mesmo.


Emoticon Emoticon