Passagem de ônibus nas alturas!


A passagem de ônibus em Belo Horizonte no início de 2016 subiu para o valor de R$ 3,70. Em aproximadamente 1 ano o valor da passagem subiu 3 vezes. A tarifa ficou cara demais prejudicando os usuários do transporte público que de várias formas evitam andar de ônibus.

Um fato que poucos cidadão sabem é que as empresas de ônibus recebem isenções da prefeitura para não pagar certos impostos. Essas isenções representam uma economia de R$ 20 milhões por ano para as empresas. Mesmo assim as passagens sempre estão subindo. Ou seja, as empresas de ônibus lucram em cima do cidadão e também da prefeitura.

Quais são as formas de acabar de vez com isso? Talvez abrir o mercado para qualquer empresa! Imaginem um Uber ônibus rodando em Belo Horizonte com um preço mais justo! Para um futuro assim, regras mais rígidas teriam que obrigar as empresas de ônibus a atenderem todos os bairros, senão elas focariam nos bairros mais lucrativos deixando bairros problemáticos sem o transporte coletivo.

A ideia do Movimento Tarifa Zero é bem interessante. O Transporte Público realmente seria público. Empresas ganhariam por viagem e seriam obrigadas a atender a todos os bairros. Mas quem arcaria com as despesas? Então, o instrumento para isso será o Fundo Municipal de Mobilidade Urbana, cujos recursos estão previstos no artigo 7º da lei de iniciativa popular. A fonte majoritária de recursos virá do orçamento público, que utilizará dinheiro proveniente sobretudo do conjunto dos impostos.

Hoje a situação é como mostra a imagem, o ônibus para no ponto e anuncia o assalto: "Perdeu!"




fontes:



4 comentários

Sempre que alguem pede algo de graça , tipo passe livre , isso significa que todos devem pagar por algo que so e util para alguns .
Nao existe nada de graça , alguem sempre paga.

Então, o criadores do tarifa zero explicam sua dúvida assim: "Com a diminuição dos engarrafamentos, quem anda de carro ou moto também sai ganhando com menos tempo e menos stress no trânsito. Além disso, todos os negócios da cidade serão beneficiados. Hoje os ônibus são utilizados quase que só para ir e voltar do trabalho. Sem pagar tarifa, as famílias também passarão a utilizá-lo à noite e aos finais de semana, para fazer compras, ir ao cinema, ao parque, etc. O resultado será um grande incremento na economia de toda a cidade, geração de empregos e o aumento da arrecadação de impostos, que ajudará a custear o novo sistema.

Há também melhorias para a saúde de toda a população. Os carros poluem até 5 vezes mais do que os ônibus por passageiro transportado. E hoje a poluição do ar mata mais em grandes cidades do que o cigarro, a aids ou a dengue. Com mais gente usando o ônibus, o trânsito diminui, os acidentes também, o ar fica mais limpo e a saúde de todos fica melhor."

Mais dúvidas são respondidas aqui: http://tarifazerobh.org/wordpress/fac/

Primeiro é uma utopia, como bem lembrou o Ivo ,nada é de graça e nunca vai ser, ainda que se justifique com esse ou aquele argumento, continua sendo pago de alguma forma, ou quem pagaria os salários dos motoristas, cobradores e arcar com a manutenção e reposição da frota?
Segundo que é um erro imaginar que basta zerar a tarifa para que mais pessoas passem a usar o transporte coletivo, isso vai muito além do simples preço da tarifa, envolve qualidade do serviço e principalmente a liberdade de mobilidade, ou seja, as pessoas usam o carro para irem ao shopping, cinema, etc. , por poderem escolher onde querem ir, a que horas ir e voltar e ainda coma possibilidade de uma esticadinha no roteiro, sem contar na praticidade de acondicionamento de compras, coisa mais difícil pra quem for de ônibus.
Passe livre é bandeira pra quem só pensa num lado da história, é bonito de se defender? Claro que é, mas é pouco eficiente, e se, hoje as empresas já recebem subsídio, imagina quanto não vai rolar por baixo dos panos, num sistema "livre" financiado com dinheiro público.
Sou contra o passe livre, mas a favor da tarifa justa, sem subsídio, sem maracutaia política, onde haja espaço até mesmo para a chamada Empresa Pública.
Em tempo.
As mesmas justificativas para a tarifa zero, ou o passe livre, serviriam também para a tarifa de energia, água, telefone, combustíveis? Quanto isso tudo custaria e quem pagaria?

Pelo que entendi, todos cidadãos pagariam. Tipo um novo iptu só que para o transporte público. A ideia é bacana, mas caso fosse um imposto alto ficaria também impraticável.

Esse link explica várias dúvidas: http://tarifazerobh.org/wordpress/fac/

Também estou tentando entender melhor qual seria a solução. Pois do jeito que está não dá.


Emoticon Emoticon